Postado em 25/10/2013 por Equipe Marina | Categoria(s): Geral

Quem cuida das joias

17 Comentários

a A

Devo insistir: o Brasil sente falta de um olhar estratégico. Ver em prazos longos, vislumbrar cenários futuros, traçar o caminho para as metas, pactuar responsabilidades, compartilhar confiança.

Vimos o contrário disso no leilão da chamada “joia da coroa” do pré-sal. É preciso boa vontade para chamá-lo de leilão, pois só um consórcio apresentou proposta para o campo de Libra, na bacia de Santos. Mas está além da boa vontade aceitar que o governo anuncie um plano de contingência para acidentes ambientais um dia depois do leilão, quando as críticas à falta do plano já eram públicas.

De fato, o potencial econômico do pré-sal é promissor, embora os trilhões anunciados sejam uma antecipação de marketing. Ainda demora alguns anos para que o óleo extraído se transforme em recursos para educação e saúde. E os R$ 15 bilhões que receberá na assinatura do contrato o governo usará para diminuir seus problemas de caixa.

Esse brilho do ouro negro não pode nos cegar para os riscos da exploração no mar em grande profundidade. O acidente no golfo do México, em 2010, mostra que o assunto é sério demais para ser tratado com muita pressa e pouco planejamento.

Só depois do leilão o consórcio vencedor de Libra teve acesso aos parâmetros que deverá seguir para lidar com acidentes. Arcará com os custos adicionais, ou estes ficarão para a sociedade, com os recursos públicos?

Essa é a “falha técnica” mais grave: a sociedade não está informada dos custos nem dos riscos. E o governo teve tempo para isso. Desde 2000, o país tem uma lei para a criação do Plano Nacional de Contingência (PNC). Na minha gestão no Ministério do Meio Ambiente, fizemos o mapeamento de áreas sensíveis do litoral brasileiro (inclusive a bacia de Santos) para combater a poluição de óleo. Elaboramos uma primeira versão do PCN e envolvemos dez ministérios em sua análise, há mais de cinco anos, antes de confirmada a viabilidade do pré-sal.

Confira a íntegra do artigo da Marina publicado originalmente na Folha de S.Paulo.


a A

Postado em 24/10/2013 por Equipe Marina | Categoria(s): Geral

Em Miami, Marina Silva recebe Prêmio BRAVO Business

18 Comentários

a A

A ex-senadora Marina Silva recebeu nesta sexta-feira (24), em Miami (EUA), o Prêmio BRAVO Business, organizado pelo Latin Trade, grupo que presta serviços de informação para empresas que têm negócios na América Latina. Em sua 19ª edição, a premiação é dada a lideranças do meio empresarial e governamental que tiveram trabalho de destaque na promoção do crescimento econômico e na melhoria de políticas públicas nos países da América Latina e do Caribe.

Marina Silva recebeu o prêmio na categoria Serviços Distintos no Hemisfério por seu compromisso com a causa ambiental, entre eles o esforço para reduzir o desmatamento da Floresta Amazônica. Também foi considerada sua determinação em incluir o desenvolvimento sustentável nas discussões sobre a condução de políticas públicas e seu papel recente no cenário político brasileiro, como a busca pela obtenção do registro da Rede Sustentabilidade como partido político. O Latin Trade destaca ainda a discussão de uma nova forma de fazer política, que conta com o poder da internet e das redes sociais para promover transparência.


a A